A Formação do Educador na Interação com o AVA em Mundos Virtuais: Percepções e representações

2005 – 2007

Descrição: Essa pesquisa se insere no contexto do Grupo de Pesquisa em Educação Digital (CNPq) estando vinculada as seguintes áreas do CNPq: 7.08.04.03-6 – Tecnologia Educacional, 7.07.06.00-0 – Psicologia Cognitiva, 1.03.04.04-5 Teleinformática; as linhas de pesquisa e de interesse social da Universidade: 12. Novas Tecnologias Educacionais e Educação a Distância e 35. Processos cognitivos, processos de ensino-aprendizagem e construção de conhecimento e novas tecnologias e, a linha de pesquisa Práticas Pedagógicas e Formação do Educador do Programa de Pós-Graduação em Educação da UNISINOS. O tema está relacionado à aprendizagem em ambientes computacionais via Web, e tem como foco o estudo da percepção e da representação dos docentes em formação na interação com diferentes Tecnologias Digitais Emergentes TDEs. A pesquisa é de natureza exploratória e experimental, envolve análise qualitativa e quantitativa dos dados e se propõe a realizar um estudo de caso, onde os sujeitos, em processo de formação docente, podem interagir com o Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA-UNISINOS, com um agente comunicativo Mariá, desenvolvido pelo Laboratório CROMOS/UNISINOS, e com Mundo Virtual – AWSINOS, realizando trocas síncronas e assíncronas, experimentando a telepresença via avatar, um personagem que o representa no mundo virtual, o qual pode realizar ações. Busca-se compreender como ocorre o processo de interação e como os sujeitos percebem e representam esses espaços virtuais. A abordagem utilizada para o desenvolvimento está fundamentada na concepção epistemológica interacionista/construtivista/sistêmica e tem como participantes alunos do Programa de Aprendizagem Educação Digital: Ensinando e Aprendendo no Mundo Digital. Busca-se compreender como ocorre o processo de interação e como os sujeitos percebem e representam esses espaços virtuais. A pesquisa trás contribuições relevantes para a compreensão de como essas tecnologias podem ser usadas para ampliar os espaços de formação docente.